Wanderlust #38 – PCH (Pacific Coast Highway) e San Luis Obispo

Ventura: a onda corre perpendicularmente ao calçadão da praia.

O trecho da Pacific Coast Highway, também conhecida como State Route 1 (SR 1), ou PCH para os locais, entre Los Angeles e San Francisco deve ser, muito provavelmente, a “road trip” mais percorrida dos EUA. Apesar da Rota 66 ser mais conhecida (ela tambem termina – ou começa, vai saber – em Los Angeles, especificamente no pier de Santa Monica), o trajeto da Rota 66 é mais longo e com menos atrações turísticas não ligadas diretamente à uma road trip.

Como nunca tinha ido até San Francisco (shame on me!), que desta vez estava no roteiro, colocamos este passeio na programação. Para nao ter que dirigir mais de sete horas direto (tem um caminho mais rápido, que leva umas 6 horas, mas a paisagem não é tão legal) e para poder parar em alguns pontos de interesse, adicionamos um pernoite em San Luis Obispo.

Saindo da cidade de Los Angeles, já existem algumas praias bem interessantes que valem uma parada. Sunset, Topanga, Malibu, Point Dume, Zuma Beach, Leo Carillo (esta vale até para passar algumas horas), Dana Beach, além de algumas outras, são recomendações que eu daria. Mas desta vez resolvemos subir direto até Ventura e iniciar a trip à partir dali.

Nunca havia parado em Ventura. Me parece uma cidade bem legal inclusive para passar uns dias. Tem um ar jovial. Achei muito interessante o calçadão denominado Surfers’ Point at Seaside Park, em Downtown Ventura: as ondas se formam perpendicularmente à este calçadão, então dá pra ver os surfistas a poucos metros de distância.

De Ventura, partimos para Santa Bárbara, que é uma cidade de veraneio onde, aparentemente, o pessoal mais “de grana” vai passar as férias e feriados. Por isto, ela tem uma estrutura bem turística: vários restaurantes, serviço de aluguel de bikes e até aqueles “bondinhos” que são comuns em praias brasileiras.

De lá, seguimos direto para San Luis Obispo (aka SLO), pois queriamos chegar ainda de dia para podermos conhecer a cidade. Não vou dizer que foi uma idéia ruim, mas também não foi um passeio que valeu a pena.

Por ficar quase no meio do caminho entre LA e San Francisco, SLO nasceu (em 1856) e se desenvolveu como um ponto de parada para as pessoas que se deslocam entre as duas grandes cidades. Então a cidade até conta com uma rede hoteleira (para este propósito, ou seja, hotéis e motéis simples, para pernoite), restaurantes e algumas lojas. Hoje em dia a California Polytechnic State University, baseada na cidade, traz um outro público. Mas pra ter idéia do “potencial turístico” da cidade, a maior atração é um beco onde as paredes são forradas de chicletes mastigados (isto mesmo!). Tá bom, tem a Mission San Luis Obispo de Tolosa, uma missão católica que deu nome à cidade.

Valeu o descanso (até porque, algumas supresas aconteceriam no restante do trecho, conto abaixo) e para conhecer a Central Coast Brewing, que além de ótimas cervejas, tem um “deck” bem aconchegante. Também deu para conhecer a SLO Brew, que até tem umas cervejas legais, em um ambiente gigante, mas como fomos “expulsos” (pra variar!) do local, a experiência não foi as melhores.

No dia seguinte era hora de continuar a viagem. Já haviamos mapeado alguns pontos interessantes e o primeiro era Morro Bay (resolvemos pular a praia de San Luis Obispo, por ficar afastada da cidade), outra cidade de veraneio, que conta com um calçadão bem legal, além de uma ótima vista do morro que dá nome à praia. Pelo que vimos na cidade, parece que rolam bastante eventos por lá durante o ano todo.

Seguindo a viagem, fomos decidindo o que fazer e paramos novamente em Cambria. A praia é bonita, mas fica meio que num conjunto residencial. Então foi só tirar fotos e “pé na tábua”. As paradas seguintes seriam Ragged Point, Gorda, Lucia, Big Creek (pois queria parar na Rocky Creek Bridge para umas fotos), Big Sur, Point Lobos, Carmel-by-the-Sea, Monterrey e, se desse tempo, Santa Cruz e San Jose, antes de chegar em San Francisco.

Mas em Ragged Point tivemos duas surpresas, uma boa e outra nem tanto. A boa é que Ragged Point é um daqueles lugares de tirar o fôlego, de tão belo. Do alto de um morro você enxerga a encosta toda esverdeada, que parece que foi pintada para combinar com o mar lá embaixo. Uma pena que estava um vento gelado e quase não conseguimos ficar, apesar do sol. E como nem tudo são flores, uns 200 metros a frente de Ragged Point avistamos um bloqueio, ao perguntar para o funcionário o que ocorria, fomos informados que, devido às chuvas de inverno, parte da encosta havia desmoronado e a PCH estava interrompida. O desvio mais próximo ficava a 40 milhas na direção de onde viemos e, contando com o trecho que teriamos que percorrer para chegar num ponto em que poderiamos voltar para a PCH, perdemos umas tres ou quatro horas.

Paciencia, faz parte! Mas tivemos que abandonar parte da programação e, devido ao imprevisto, acabamos tendo tempo apenas de passar por Carmel-by-the-Sea (praia interessante, lembrando bastante as praias do nordeste brasileiro) e Monterrey, uma cidade de veraneio que me surpreendeu pelo tamanho e estrutura.

Fiquei com vontade de conhecer os outros lugares, mas como já tinhamos planos em San Francisco (próximo Wanderlust, que não sei quando sai), não daria tempo de voltar e perder mais duas ou três horas de estrada, sem falar no cansaço.

Observações, dicas e considerações:

  • Fiz o trajeto indo de Los Angeles para San Francisco, mas acho que fazer no sentido contrário (descendo de San Francisco para Los Angeles) é melhor, pois além de estar mais perto da costa, fica mais fácil para parar de sopetão, ao avistar um lugar legal.
  • Por outro lado, existe um pouco mais de “perigo” na descida, pois em várias partes você está dirigindo na beira de um penhasco, sem guardrail ou acostamento. Portanto, precisa de muita atenção.
  • Os melhores meses para ir são entre Junho e Novembro: o tempo está agradável (não que faça muito frio na Califórnia, mas no inverno dá pra esperar algo como o inverno de São Paulo) e as chuvas de inverno já terminaram há uns 3 meses, o que dá algum tempo para que as obras de recuperação das vias sejam concluidas (no caso de interrupções por conta de deslizamentos).
  • É sempre bom dar uma pesquisada no Google para ver se existe alguma interdição na PCH. Comemos bola neste ponto (nem imaginávamos!).
  • Para quem gosta de dirigir, a Topanga Canyon Road, que começa PCH, na praia de Topanga Beach, e vai ate Canoga Park, já no San Fernando Valley, é uma boa pedida. A estrada é bastante sinuosa (mas com boa sinalização e visibilidade) e com uma bela paisagem. Depois dá pra voltar pra LA pela 101 e 405 ou pegar alguma outra estrada pra voltar para a PCH (ou mesmo seguir direto até Ventura pela 101, e ai perde-se as praias de Malibu).

Be happy 🙂

Boardwalk em Ventura Downtown

PCH

Santa Barbara

A principal atração de San Luis Obispo: um beco cujas paredes são cobertas por chicletes mastigados!!!

A bela Morro Bay

Cambria

Cambria: bela praia, mas só isto!

Pé na estrada!

Ragged Point!

Pegando o desvio =(

Carmel-by-the-Sea: lembra muito as praias do nordeste brasileiro

Monterey: uma “grande” cidade de veraneio.

Ragged Point: uma pena que uma foto não consiga capturar toda a beleza do local. Mas fica na memória um dos lugares mais belos que eu já conheci.

 

3 ideias sobre “Wanderlust #38 – PCH (Pacific Coast Highway) e San Luis Obispo

  1. Camila

    Ola, tudo bem? Adorei seu post e gostaria de uma dica, já que farei o mesmo percurso. A Highway 1 está fechada até a Ragged Point. O desvio nos levará até qual cidade? Qual o nome da estrada? Gostaria da sua orientação. Obrigada!

    Curtir

    Resposta
    1. Wellington Cunha - Ruivo Autor do post

      Ola Camila, esta viagem foi feita em Marco, ou seja, logo apos as chuvas de inverno, mas voce pode consultar as condicoes da PCH aqui: http://www.dot.ca.gov/hq/roadinfo/display.php?page=sr1

      Parece que ainda tem desvios em Ragged Point, se for ate la, depois precisa voltar ate a 46, depois pegar a 101: https://www.google.com/maps/dir/Nacimiento-Fergusson+Rd,+Big+Sur,+CA+93920/Ragged+Point,+CA+93452/@35.7207688,-121.2429674,11z/data=!4m13!4m12!1m5!1m1!1s0x809296a8a7f9159b:0x70441b9f4863105b!2m2!1d-121.3965642!2d36.0042336!1m5!1m1!1s0x8092cbc8d3bde30f:0x64768874c54967d4!2m2!1d-121.3300909!2d35.7814021

      Curtir

      Resposta
  2. Pingback: Wanderlust #39 – San Francisco – Califórnia – Estados Unidos | Botecoterapia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s