Botecando #56 – Pirajá – São Paulo – SP

20150509_123020Sinceramente não lembro se já tinha ido alguma vez no Pirajá. Acho que sim, mas se fui faz tanto tempo que nem lembrava como o bar era. Aproveitei que ia rolar um samba com Moacyr Luz e seu Samba do Trabalhador , que se apresenta todas as segundas no Clube Renascença, no Rio, e sempre na primeira terça-feira do mês no Traço de União para conhecer (ou relembrar) deste já tradicional ponto da boêmia paulistana. E gostei!

Estes não eram todos nossos, mas tomamos um pouco mais que isto.

Estes não eram todos nossos, mas tomamos um pouco mais que isto.

O Pirajá, que já tem quase seus vinte anos, fica localizado bem no início da Faria Lima, naquele pedaço que têm sido chamado ultimamente de “baixo Pinheiros” e teve como proposta, desde o início, ser um boteco carioca bem no meio de São Paulo, tanto que sua calçada imita o desenho de ondas existente no calçadão de Copacabana.

A parte interna do bar não é tão grande, mas juntamente com a área externa tem capacidade de acomodar um bom público, que desta vez lotou para acompanhar o samba. E ai fica uma dica: quando tiver algum destes raros eventos, é importante chegar cedo para pegar mesa. Tá certo que ninguém vai ficar sentado, mas é sempre bom ter um lugar para colocar os copos e para as mulheres colocarem suas bolsas. Além de ser mais prático se quiser comer algum petisco.

Por falar em petisco, talvez eles sejam o carro chefe da casa. A calabresa na cachaça que pedimos estava fantástica. Pedimos uma porção de torresmo, que eles não tinham (uma falha, já que no Rio é quase obrigação em boteco), porém o garçom “quebrou o galho” e nos fez uma porção com a pururuca que acompanha o caldinho de feijão. Não era exatamente o que queriamos, mas mesmo assim estava muito bem feita.

Os garçons estavam sempre solícitos, porém quando o bar encheu o serviço ficou um tanto prejudicado. Mas na medida do possível eles conseguiam nos atender e trazer o chopp brahma, sempre gelado e cremoso, e também a ótima cachaça da casa.

Uma pena que o samba acontece em situações esporádicas (até porque, não se cobra couvert) e talvez por isto encha demais (uma faixa da Faria Lima ficou tomada), senão seria uma opção a mais aos sábados.

Onde: Pirajá (Avenida Brigadeiro Faria Lima, 64 – São Paulo – SP)
Quando:09/05/2015
Bom: petiscos e atendimento.
Ruim: o samba acontece somente em datas especiais.
Site: http://www.piraja.com.br/
Facebook: https://www.facebook.com/bar.piraja?fref=ts

 Be happy! 🙂

Moacyr Luz fazendo a galera cantar para poder "molhar o bico".

Moacyr Luz fazendo a galera cantar para poder “molhar o bico”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s