Top Top #4 – Os 10 livros que marcaram minha vida (até o momento)

booksNuma destas brincadeiras / correntes do Facebook, um amigo sugeriu que as pessoas que ele havia marcado fizessem uma lista com 10 livros que foram marcantes nas suas vidas. Não precisavam ser obras-primas, não tinha restrições quanto à ficção / não ficção, a única premissa era pensar rápido, sem avaliar muito (o que provavelmente geraria uma lista mais espontânea).

Procurando estender mais esta brincadeira, resolvi colocar aqui estes 10 livros e também explicar o porque que eles me marcaram. Os livros se encontram em ordem alfabética, para não parecer ranking. A única exceção foi feita “À Revolução dos Bichos”, porque acho que ele tem que ser lido antes de 1984 (só por isto):

A Revolução dos Bichos – George Orwell
Mesmo durante o ginásio e colegial, quando eu tinha algumas tendências esquerdistas (graças à maldita doutrinação ideológica), um dos valores que eu sempre preservei foi a democracia, ou seja, o direito de cada pessoa individualmente ou de um grupo de pessoas, traçarem o seu destino. Este livro só veio reforçar este meu princípio. Neste clássico da literatura, Orwell mostra em forma de Fábula como, à partir de uma revolução, um sistema totalitarista se instala. Na maioria das vezes, este sistema é ainda mais cruel do que o que foi deposto.

1984 – George Orwell
Este romance de Orwell poderia ser encarado como uma continuação / extensão de “A Revolução dos Bichos”. Aqui ele demonstra as formas como, depois de instalado, um sistema totalitarista se mantém vivo: através da supressão das individualidades (cada ser é apenas uma peça da engrenagem), da criação de uma “entidade” onipresente que não seja representada por um indivíduo e da sonegação e manipulação das informação. É um alerta para os fanáticos ideológicos / políticos.

books2A Corrosão Do Caráter – Richard Sennett
Interessante livro do sociólogo Richard Sennet. Escrito em 1999, ele trata da relação do homem com o trabalho e como a tecnologia, flexibilização e a “componentização” (a quebra de um trabalho em várias pequenas tarefas, executadas isoladamente) faz com que o trabalho perca o sentido na formação do caráter humano, afinal de contas, ao não ver o significado do todo, aquilo se torna “irrelevante” para quem executa, se tornando apenas um modo de ganhar dinheiro, quando deveria ser motivo de orgulho, de realização pessoal, ferramenta para criar e estreitar laços, etc. Vale a leitura pois, se ao menos a gente não consegue mudar o mundo, ou mesmo nossa empresa ou nosso departamento, ao menos podemos tentar mudar o nosso comportamento, especialmente nos relacionamentos com as pessoas à nossa volta.

A Peste – Albert Camus
Mostra a rotina de uma cidade (Oran, na costa da Argélia), assolada por uma peste que a isola do resto do mundo e como as pessoas se comportam quando submetidas à situações extremas, como isolamento, privação de necessidades, etc. Interessante notar como este livro influenciou outras obras, para citar duas: o livro “Ensaio Sobre a Cegueira” de José Saramago e o seriado “The Walking Dead”

A Vida Não E Justa – Andrea Pacha
Coleção de histórias colhidas pela juíza Andrea Pacha durante o seu trabalho em Varas de Família. Sao histórias reais de casos que ela precisou mediar e que mostram que a vida não é um conto do fadas onde no final todos serão felizes para sempre, mas que, ao contrário, a vida é composta de vários fragmentos onde alguns serão bons e outros serão ruins, e cabe a nós mesmos fazer com que, ao final, o saldo seja positivo. Tenho vontade de andar com alguns exemplares do livro e distribuir para algumas pessoas que projetam sua felicidade em outras pessoas, pessoas que vivem uma dependência psicológica de namorados, maridos, filhos, etc, ou mesmo pessoas que acham que a vida é um arco íris onde no final existe um pote de ouro para cada um e que, por isto, ela não precisa “correr atrás” e fazer a sua felicidade.

Admiravel Mundo Novo – Aldous Huxley
A estória deste livro retrata um mundo onde os seres humanos seriam produzidos em série e moldados de acordo com as necessidades da sociedade. Novamente, assim como em 1984, demonstra a eliminação do indivíduo para a criação de uma entidade coletiva idealizada por alguns poucos e é também um alerta para pessoas que partilham de ideologias parecidas.

books3Crime e Castigo – Leon Dostoievski
Um ótimo livro para entender um pouco das angústias e dilemas morais, que no caso da estória, afligem o jovem ex-estudante Raskolnikov, que formula e executa um plano para assassinar e roubar uma velha usurária. O argumento dele é que, com o dinheiro roubado ele pode fazer bom uso afim de contrabalancear o crime, colocando em pauta a velha questão moral de “os fins justificam os meios”.

O Estrangeiro – Albert Camus
O livro conta a história de Marsault, um homem despido de sentimentos ou remorsos que comete um assassinato. Durante o julgamento, todos atêm-se à este fato, ao invés do crime em si, como base para sua condenação à morte. Livro muito tenso, mas uma obra prima. Acho que serve como um balizador para que a individualidade e indiferença, que são às vezes necessárias, não se tornem exageradas.

Os Meninos Da Rua Paulo – Ferenc Molnár
Este romance juvenil, que se tornou o livro mais conhecido da literatura húngara, conta a história de um grupo de garotos de Budapeste que fazem parte de um clube (o Clube do Betume) e suas aventuras afim de defender seu território contra a invasão de um grupo rival. Mostra valores que cultivamos enquanto criança e que às vezes nos esquecemos, tais como lealdade, amizade e heroismo. Boa indicação de leitura para crianças e adolescentes.

Virando a Própria Mesa – Ricardo Semler
O livro conta a história do jovem empresário brasileiro Ricardo Semler, e de como ele passou de um “futuro playboy” para um dos empresários mais respeitados fora do Brasil por implementar idéias e metodos de gestão tão raros (como horário flexível, home office, participação dos empregados nas decisões essenciais da empresa, etc) e que deram certo. Também mostra que o trabalho não pode ser apenas um meio, como também não deve ser apenas um fim, mas deve estar em constante sinergia com seus planos de vida. Me fez mudar um pouco a forma de encarar minha profissão e meu trabalho.

3 ideias sobre “Top Top #4 – Os 10 livros que marcaram minha vida (até o momento)

  1. Pingback: Top Top #5 – Os 20 álbuns que marcaram a minha vida | Botecoterapia

  2. Pingback: As Intermitências da Morte – José Saramago (19/2015) | Botecoterapia

  3. Pingback: Maverick – Ricardo Semler (08/2017) | Botecoterapia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s