Arquivo mensal: junho 2016

Contato – Carl Sagan (09/2016)

Carl Sagan - ContatoCada vez que eu conheço uma nova obra do Carl Sagan eu fico mais convencido de que ele foi um dos grandes gênios do século XX. Em “Contato” ele se aventura em um romance, mas é claro que vindo do Sagan, mesmo um romance teria que ter ciência como pano de fundo.

O livro conta a estória de Ellie Arroway, uma radioastrônoma que tem como alvo a Pesquisa de Inteligência Extraterrestre. O livro inicia-se contando a infância e a adolescência da pequena Ellie, que desde cedo tem uma curiosidade natural para tentar entender os fenômenos naturais e as invenções humanas e, como todo curioso,  usa todo o seu ceticismo para questionar o por que das coisas (e neste caminho, encontra muita resistência de pessoas acostumadas com respostas simples, inclusive seus professores).

Nesta parte do livro ele frisa o quão importante é a curiosidade de uma criança, que muitas vezes é tolhida pela falta de paciência dos adultos, e também a importância de se questionar tudo, mas principalmente autoridades (a velha falácia do apelo à autoridade!).

Já na idade adulta e enquanto gerenciava um projeto de radioastronomia que vasculha o universo à procura de algum sinal alienígena, Ellie se depara com um sinal que pode ser uma mensagem de vida inteligente. A confirmação de que o sinal não é algo aleatório e que reamente continha uma Mensagem de seres de outros planetas desperta um frenesi mundial que viria a mudar o mundo como conhecemos (ou como era conhecido à época em que o livro foi escrito). Não vou entrar em detalhes do desenrolar da estória em sí, mas apenas frisar que, durante todo o texto ele coloca termos científicos que despertam o interesse dos mais habituados enquanto não torna a leitura algo complexa para quem não tem tanto interesse em ciência (no máximo basta interpretar os termos científicos como “invenções” do autor afim de realçar a estória).

O livro termina com uma teoria da conspiração digna dos episódios de Arquivo X, não sem antes passar por temas como política, religião, comportamento humano e inclusive relações pessoais (de Ellie com sua mãe e com seu padrasto).

Um ponto importante a se frisar é que, como um cientista e, consequentemente um cético, o Carl Sagan não “acreditava” na possibilidade de vida extraterrestre, mas também não afirmava ser impossível, ao contrário, ele até ansiava achar algum sinal de outras civilizações. Como também não acreditava em teorias da conspiração. Um verdadeiro cético aceita as possibilidades que são passíveis de serem provadas através de métodos científicos, ou no mínimo, a melhor hipótese para explicar algo, mas sempre vai estar aberto a novos pontos de vista. Ele traz estes pontos no livro justamente para dar uma “incrementada” na estória e realçar a necessidade de existirem provas para que algo possa ser aceito como uma “verdade absoluta” (o que é bem destacado no último trecho do livro). E verdades absolutas são muito raras. Tudo é questionável.

Como tudo do Sagan, deveria ser leitura obrigatória nas escolas.

Be happy 🙂

Botecando #90 – Você Vai Se Quiser – São Paulo – SP

Você Vai se QuiserO Você Vai Se Quiser é um daqueles bares que, se fosse possível (ou seja, se não existissem tantos bares legais…haha), a gente viraria cliente assíduo, batendo cartão todo dia.

O bar em sí é simples, e talvez isto que o torne tão legal. O imóvel fica ali na esquina da Praça Roosevel com a Rua da Consolação, e com suas janelas grandes já garante a bela vista da Praça (que poderia ter sido melhor reformada, dando mais atenção ao verde do que ao cimento, mas já está melhor do que antes) e da bela Igreja da Consolação. Nas paredes, apenas fotos da dona Graça Braga, proprietária do bar e sambista da velha guarda, com artistas e amigos. O restante da “decoração” se resume àquelas mesas de plástico de boteco mesmo, espalhadas inclusive pela rua (que é sem saída).

As cervejas (Original, Heineken, Brahma, etc) são servidas sempre bem geladas. Um dos destaques do boteco é sua cozinha que oferece ótimas porções (a de pastel é obrigatória!) e pratos prontos na hora do almoço. Aos sábados rola a já tradicional feijoada, que é servida em porções acima da média. Cuidado se for pedir o caldinho de feijão “só pra dar uma forrada no estômago”: ao contrário de outros lugares, o caldinho não é servido num copo, mas sim numa grande tigela, portanto, um caldão!

Para complementar tudo isto, aos sábados rola uma ótima roda de samba que sempre conta com convidados mais que especiais. Nesta minha última visita ela foi comandada pela grande voz e o carisma de Tereza Gama, e foi abrilhantada pela visita do René Sobral.

Onde: Você Vai Se Quiser (Rua João Guimarães Rosa, S/N – Centro – SP)
Quando: 18/06/2016
Bom: comida, bebida, atendimento, samba, etc
Ruim: nada
Facebook: https://www.facebook.com/vocevaisequiser/

Be happy! 🙂

A Origem das Espécies – Charles Darwin (08/2016)

A Origem Das EspéciesPrimeiramente é bom frisar que o livro é resultado de um tratado cientifico e portanto não tem a pretensão de ter uma leitura fluida e amigável. A intenção principal é mostrar a teoria da evolução afim de explicar como os seres vivos surgiram e se disseminaram pelo nosso planeta.

E é exatamente o fato de ser um trabalho científico o que torna o livro fantástico. Durante as mais de 500 paginas Darwin vai explicando os pontos da teoria e como ele chegou as conclusões. Ele também tenta desconstruir argumentos contrários e que colocariam em cheque suas hipóteses, tanto argumentos levantados por outros cientistas quanto “testes” que ele mesmo faz contra suas teorias afim de evitar suas proprias falhas de observação e lógica.

Como seria impossível fazer um resumo de todo o trabalho (e seria muita pretensão minha), vou aproveitar o texto para falar de dois pontos relativos à ciência e a Darwin que muitos “distratores” da teoria levantam.

O primeiro é que muita gente alega que “é só uma teoria”. O conceito de teoria em ciência difere um pouco do uso da palavra no âmbito popular. Em ciência existem três “entes” principais: as leis, as teorias e as hipóteses. Leis são fenômenos que já foram completamente explicados e são imutáveis, tal como a lei de Newton: não há como contradizê-las, se você pular de um prédio vai se estropiar no chão. Teoria é uma hipótese que foi testada várias vezes e, até que surjam novas evidências para contradizer esta teoria, ela é aceita como sendo a hipótese mais provável. Hipótese é uma explicação provável para algum fenômeno, que deve ser testada (inclusive por outros cientistas) e confrontada até que a maioria das possibilidades se esgotem e, na falta de uma hipótese melhor, ela seja aceita como teoria.

No caso da Teoria da Evolução de Darwin, fatos subsequentes vieram apenas confirmar que esta é a hipótese mais provável. A descoberta de que os continentes não são fixos e que, há milhões de anos atrás, todos eles formavam juntos um grande continente, a Pangea, só vieram a explicar a hipótese do ancestral único de Darwin melhor do que ele mesmo tentou explicar. O mapeamento do DNA de diversos seres vieram a comprovar esta ligação, como o fato de que os humanos e as plantas compartilham quase 20% do DNA e praticamente todos os seres vivos compartilham, num menor ou maior grau, partes de DNA.

Uma outra história levantada especialmente pelos criacionistas é que Darwin teria, no seu leito de morte, “aceitado” a existência de Deus. Na verdade ele nunca negou a existência de um ser supremo e até cita “O Criador” várias vezes no livro. Há 150 anos atrás ninguém era ateu. Não havia o conhecimento que temos hoje e, de uma forma ou de outra, a existência de um ser superior era sempre a explicação final para os fenômenos naturais. Mesmo que ele fosse ateu e ao final da vida tivesse ele mesmo desacreditado toda a sua teoria, isto não faria com que todo o seu maravilhoso trabalho fosse jogado fora, pois como já mencionei, os argumentos e a descontrução dos argumentos contrários é muito forte e fatos posteriores só vieram a confirmar que as observações feitas à época tinham um fundamento. O que nos leva a classificar Darwin como um gênio, que somente através da observação viria a definir uma teoria que métodos científicos complexos, que só surgiriam mais de um século depois, viriam a confirmar.

Be happy 🙂

Botecando #89 – O Embarxador – Beer & Food – São Paulo – SP

Inauguração do Embarxador

Inauguração do Embarxador

Quando criei esta “seção” a intenção era dar dicas de bares que eu gosto, ou seja, não é algo impessoal, algo para ser “imparcial”. Até porque, não tem como ser imparcial no quesito boteco. Então já que nunca tive esta proposta, vou ser parcial pra caralho para avaliar O Embarxador!

O Embarxador é um bar/boteco recém inaugurado na Zona Norte, numa travessa da Alfredo Pujol e é resultado da vontade de três apaixonados por boteco, cervejas especiais, petiscos, e tudo o que diz respeito à esta cultura, de montar um bar não apenas para “ganhar dinheiro”, mas de criar um boteco que eles próprios gostariam de frequentar.

Olha eu ajudando a tirar uns chopps na inauguração

Olha eu ajudando a tirar uns chopps na inauguração

O imóvel, apesar de pequeno, foi bem montado e aproveita bem todos os espaços. A decoração foi planejada para ser aconchegante, sem deixar de ser um boteco, mas também sem ser “largado”. De um lado está o balcão, com as 5 torneiras de chopp: uma de Heineken e mais quatro que variam entre estilos e marcas, sempre nacionais. Do outro uma bancada para os clientes apoiarem os copos e logo acima alguns “caixotes” que fazem a vez de prateleiras, com as cervejas disponíveis para levar para viagem. A maioria delas também está disponível para consumo na hora. Caso não esteja, é só pedir que eles colocam pra gelar. Apesar do espaço restrito, a carta de cervejas foi montada para cobrir a maioria do dos estilos.

No quesito comida, além da ótima coxinha, carro chefe da casa, de acordo com o cardápio do dia pode-se provar um caldinho, um bolinho de carne, uma casquinha de siri, ou então o ótimo pernil no pão de queijo, muito famoso em Minas Gerais, mas difícil de se encontrar em São Paulo.

O atendimento é feito pelos próprios donos e por isto pode esperar ser muito bem tratado. Eventualmente alguma apresentação de artistas (MPB e Rock Nacional) ocorre na casa.

Para quem procura um local na Z/N para tomar umas cervejas especiais / artesanais, para beliscar alguns petiscos saborosos ou mesmo para dar uma passada e levar umas cervejas para casa (ou encher o growler), é só dar um pulo e falar que é amigo do Ruivo que talvez até consiga um desconto (o amendoim de graça é garantido sem precisar citar meu nome…haha).

Pra ficar completo e batizar o bar, só está faltando nosso amigo Zé ir dar uma vomitada por lá…..kkkkk

P.S. Não, o bar não é meu, mas me sinto como “sócio honorário” e, parafraseando aquele adesivo que colam em carro: não sou dono do bar, mas sou amigo do dono!!!!

Onde: O Embarxador (Rua Embaixador João Neves da Fontoura, 306 – Santana – SP)
Quando: 28/05/2016
Bom: comida, bebida, atendimento, etc
Ruim: as prateleiras da geladeira são muito frágeis….hahaha
Facebook: https://www.facebook.com/oembarxador/?fref=ts

Be happy! 🙂

Algumas das guloseimas: bolinho de carne, coxinha e o saboroso pernil no pão de queijo!

Algumas das guloseimas: bolinho de carne, coxinha e o saboroso pernil no pão de queijo!